fbpx

O que é para ti ser Vulnerável?

Esta pergunta “Ser Vulnerável é” foi realizada a várias pessoas e foi possível ter diferentes respostas:

Partilhar uma opinião poupo popular;
Defender aquilo que acredita;
Pedir ajuda;
Dizer não;
Lançar o meu próprio negócio;
Ajudar a minha mulher de 36 anos com um cancro na mama em estádio 4 a tomar decisões sobre o seu tratamento;
Ouvir o quanto o meu filho quer ser músico de primeira estante na orquestra e encorajá-lo embora saiba que isso provavelmente não vai acontecer;
ligar a uma amiga cujo filho acabou de falecer;
Inscrever a minha mãe nos cuidados paliativos;
O primeiro encontro amoroso depois de um divórcio;
Dizer amo-te primeiro sem saber se vou ser amado de volta;
Mostrar qualquer coisa que escrevi ou uma obra de arte que fiz;
Ser promovido e não saber se vou ser bem-sucedido;
Ser despedido;
Apaixonar-me;
Experimentar uma coisa nova;
Levar o meu namorado para casa;
Ficar grávida depois de três abortos espontâneos;
Esperar os resultados da biopsia;
Apoiar o meu filho que está a passar por um divórcio difícil;
Admitir que tenho medo;
Voltar a enfrentar o desafio depois de uma serie de fracassos;
Dizer ao meu director geral que não vamos conseguir pagar os salários do mês seguinte;
Despedir empregados;
Apresentar o meu produto ao mundo e não obter resposta;
Defender-me a mim ou aos meus amigos quando alguém está a criticar ou a dizer mal.
Pedir perdão.

A vulnerabilidade soa como a verdade e sente-se como coragem. A verdade e a coragem não são sempre confortáveis, mas nunca são uma fraqueza.
Sim estamos totalmente expostos quando somos vulneráveis. Sim, estamos na câmara de tortura a que chamamos incerteza. E, sim estamos a correr um risco emocional enorme quando nos permitimos ser vulneráveis. Mas não existe nenhuma equação em que correr riscos, enfrentar a incerteza e abrir-se à exposição emocional seja igual a fraqueza.